Aréolas realistas em reconstrução mamária – Passo a Passo

Pigment Brasil Grandes Habilidades 8 Comments

A técnica para se fazer uma aréola realista está basicamente em fazer um bom desenho. Isso quer dizer, trabalhar com luz e sombra.

Todo corpo ou objeto que possui relevo, se incidirmos luz, ele irá gerar uma profundidade através da sombra. Com isso, podemos adquirir a percepção de profundidade, cor, dimensão e iluminação em nossos desenhos, e, consequentemente, atingirmos excelentes resultados que contribuirão com o aumento da autoestima das pacientes.
Para desenharmos uma aréola realista, partimos de duas formas geométricas, ou seja, de dois círculos aplicados em diferentes dimensões: O círculo menor refere-se ao bico/ mamilo, ou seja, a papila. O círculo maior refere-se à aréola.

PASSO A PASSO

1- Vamos dividir estes círculos como se fosse uma pizza.

 

2- A parte mais próxima da luz será a mais iluminada.

 

3- A parte contrária da luz será a área da sombra.

 

4- Baseado no “jogo” de luz e sombra e nas duas formas geométricas aplicadas, podemos iniciar o processo artístico.

 

5- Podemos reforçar a área da sombra com um tom mais escuro.

 

6- Algumas papilas possuem pequenas rugas, como no desenho abaixo. No centro da papila podemos fazer uma pequena letra “E”, a qual irá representar o orifício onde sai o leite.

 

7- Com a mesma técnica de iluminação, podemos fazer algumas pequenas “verrugas”, que algumas mulheres apresentam, utilizando o mesmo “jogo” de luz e sombra. Essas verrugas são denominadas Tubérculos de Montgomery.

 

8- E por último podemos fazer pequenas inervações, presente em algumas mulheres, proporcionando um efeito ainda mais real.

 

9- Após passarmos por muito treinamento do desenho em papel e peles artificiais, iniciamos o procedimento em pele humana com um pré-desenho feito a lápis, com cores que se assemelham com o tom da aréola. Assim, podemos verificar a simetria das aréolas direita e esquerda, proporcionando uma segurança para a paciente em relação ao resultado.

 

Após passarmos por muito treinamento do desenho em papel e peles artificiais, iniciamos o procedimento em pele humana com um pré-desenho feito a lápis, com cores que se assemelham com
o tom da aréola. Assim, podemos verificar a simetria das aréolas direita e esquerda, proporcionando uma segurança para a paciente em relação ao resultado.

Após feito o pré-desenho, escolhemos a cor mais próxima da aréola que não foi retirada (aréola íntegra). Caso a paciente tenha passado por um processo de mastectomia bilateral, elegemos o tom de acordo com o seu fototipo. Posso dizer que, um trabalho realizado com técnica e com muito amor, é extremamente gratificante tanto para nós, micropigmentadores, quanto para aquelas pacientes que passaram por tantas dores e lutaram para alcançar a cura.
Nesta matéria, não posso deixar de ressaltar a importância da parceria médico/micropigmentador. Por meio dela, podemos discutir casos com o intuito de beneficiar e, até mesmo, aprofundar o conhecimento da paciente sobre o seu caso clínico.
Eis aqui um caso que me chamou muita atenção:

Neste caso, a papila do lado direito da paciente apresentava-se muito mais baixa em relação à esquerda, gerando uma grande assimetria. Como resolver esta situação sem comprometer o nosso
trabalho e a estética da paciente?
A relação médico/micropigmentador + paciente é de extrema importância. Sendo assim, no caso acima, relatei para a médica responsável, que, se mantivéssemos a papila esquerda da paciente,
o trabalho ficaria extremamente assimétrico e, para haver uma simetrização, seria necessário retirá-la. Perguntei para a médica parceira o que eu poderia fazer neste caso.
Sabem qual foi a resposta da doutora? Ela disse para eu deixar a paciente escolher a melhor opção. Se a escolha fosse fazer uma simetrização por meio da micropigmentação com efeito realista, a doutora faria a retirada da papila. Caso a opção fosse por não passar por um processo cirúrgico para a retirada da papila, o resultado ficaria bastante assimétrico. Isso foi explicado para a paciente com muita clareza. O resultado deste procedimento partiu da escolha da paciente. Ela preferiu manter a papila e deixar as aréolas assimétricas e não passar por um processo cirúrgico, por menor que fosse.


Mama que passou por processo de mastectomia e onde foi realizada a micropigmentação com efeito realista em sua reconstrução.

Valéria Yoshino,

atua na área da micropigmentação há 16 anos. Graduada em Fonoaudiologia.
Fez curso de micropigmentação paramédica na Inglaterra. Cursos de especialização na Espanha. Atua no Hospital Erasto Gaertner e na própria empresa Valéria Yoshino Art and Micropigmentation. Ministra cursos pela Hautlinie Academy em Curitiba. Atua em São Paulo e Curitiba.
(Curitiba, Brasil)

Comments 8

  1. Lindo..lindo e lindo…
    Abençoadas as mãos que fazem este trabalho.
    Sou micropigmentadora e tatuadora ha anos e realizo este procedimento
    Gratuitamente ….é uma honra podê ajudar.

  2. Sonho em fazer o curso e ajudar essas mulheres, mas ainda não tenho condições financeiras pra isso, mas desde já sou grata por fazer isso por alguém!!!

  3. Muito show. tenho muito interesse em aprender a técnica. Pois gostaria de poder ajudar as mulheres com este problema sério. Muito obrigado. Sua matéria foi muito importante para mim.

  4. Boa tarde!
    Ótima matéria, parabéns!
    Aprendi muito.
    Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.
    Iniciei este trabalho voluntário, muito gratificante.
    O que fazer para que a micropigmentação dure mais tempo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *